Suspeita de fraude em pesquisa que não pontua Levy Fidelix à Prefeitura de São Paulo

A piada está pronta: “de acordo com a margem de erro...”, só que dessa vez não foi o IBOPE que errou. A pesquisa da Consultoria Atlas, realizada entre os dias 26 de agosto e 01 de setembro, gerou suspeição pelo fato de um nome de peso no cenário político nacional aparecer ‘zerado’.

Segundo a pesquisa, o candidato Levy Fidelix (PRTB) aparece ‘sem pontuação’, ou seja, não atingiu o percentual mínimo (menor que 1%) das intenções de voto. A pesquisa ouviu, pela internet, um total de 1.514 pessoas. Isto é, menos de 15 pessoas declararam não ter a intenção de votar em Levy Fidelix para prefeito de São Paulo.

Levy Fidelix é empresário e já atuou como jornalista e publicitário. Ele fundou o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) e já foi candidato a diversos cargos eletivos, inclusive à Presidência da República em 2014. Durante a convenção do partido, na qual foi escolhido para concorrer à prefeitura de São Paulo em 2020, Levy Fidelix afirmou no evento político que suas bandeiras são “Deus, Pátria e Família”.

O PRTB conta também com a extraordinária atuação do Vice-Presidente Hamilton Mourão que substituiu muito bem Jair Bolsonaro durante suas ausências. Fidelix afirma que o general vem desempenhando um excelente trabalho no Palácio do Planalto e é tido como uma “figura exponencial” dentro do partido. “O Mourão faz parte do projeto presente-futuro”, declarou o presidente do PRTB em diferentes meios de comunicação.

No momento que foi escolhido como candidato do PRTB à Prefeitura de São Paulo – Levy Fidelix registrou que, “nosso principal projeto é a limpeza na área de corrupção. Pode-se fazer algo com mais consistência [...] não funcionou a possibilidade de fazer uma gestão sem termos a participação desses partidos que estiveram envolvidos em todos os tipos de escândalos, do mensalão ao petrolão. Está todo mundo aí de novo”, declarou Fidelix.

A pesquisa da Consultoria Atlas aponta Bruno Covas com 16% das intenções de voto, seguido por Guilherme Boulos (PSOL), com 12,4%, Celso Russomanno (Republicanos), com 12,3% e Márcio França (PSB) com 11,5%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para cima ou para baixo. Isso significa que os 4 candidatos listados acima estão empatados ‘tecnicamente’ admitindo a margem de erro.

Marta Suplicy (Solidariedade) tem 4,2% das intenções de voto, seguida de Joice Hasselmann (PSL), Jilmar Tatto (PT) e Andrea Matarazzo (PSD), todos com 2,1%. Arthur do Val (Patriota) tem 1,9%, Filipe Sabará (Novo), 1,1%, e Orlando Silva (PC do B), 0,8%. Levy Fidelix (PRTB), Marcos da Costa (PTB), Vera Lúcia (PSTU), Ribas Paiva (PTC), Antonio Carlos Mazzeo (PCB), Vivian Mendes (UP), Marina Helou (Rede) e Antônio Carlos Silva (PCO) não pontuaram, segundo a pesquisa.

Se alguma pessoa ou instituição foi ou se sentiu prejudicada, tem espaço garantido para direito de resposta.

redacao@revistabrasilia.com.br