Direito do servidor à Gmov precisa ser garantido em lei

O SindSaúde entende que o direito do servidor público da Saúde deve ser garantido na Legislação e vai cobrar do Governo do Distrito Federal a manutenção da Gratificação de Movimentação (Gmov) aos servidores lotados na Administração Central da Secretaria de Saúde do DF (SES).

Na manhã desta sexta-feira (24), uma decisão da Justiça apontou ilegalidade no pagamento da Gmov a esses profissionais. No entanto, essa é uma luta histórica da categoria e a incompetência da gestão passada não pode causar esse prejuízo ao servidor.

“À época da aprovação da Gmov, a sugestão do SindSaúde era a inclusão da gratificação nos artigos da Lei 318/1992, mas o governo Rollemberg preferiu fazer um puxadinho, com uma orientação administrativa, sem garantir a Gmov de forma definitiva. Agora os servidores ficam sem a proteção”, destaca a presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues.

Assim como fez no caso do abono de licença em acompanhamento, a Direção do SindSaúde, por meio de seu Departamento Jurídico, já prepara a defesa do servidor ao pedir o GDF a inclusão da gratificação na Lei 318 para não causar prejuízos aos servidores da administração central.

“Chega de medidas paliativas. É preciso que o direito seja definitivo”, finaliza Marli.