Patrimônios de Pirenópolis (GO) são retratados em livro com experiências de arquiteto do Iphan

Fundada no século XVIII com a descoberta do ouro, a cidade de Pirenópolis, no Estado de Goiás, conta com um dos mais importantes acervos patrimoniais de todo o Centro-Oeste. Os casarões, as ruas e igrejas compõem o conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1990.

O arquiteto e servidor do Iphan, Silvio Cavalcante, é conhecedor desse riquíssimo Patrimônio Cultural, suas experiências de trabalho durante muitos anos na cidade, resultou no livro Barro, Madeira e Pedra – Patrimônios de Pirenópolis, escrito com o apoio da também arquiteta Neusa Cavalcante, sua irmã, uma incentivadora desse projeto. A publicação é resultado de uma parceria entre o Iphan, Elysium Sociedade Cultural e a Construtora Biapó, e será lançada em Brasília (DF), no dia 19 de agosto, às 15h, na sede do Iphan. A publicação também será lançada nas cidades de Pirenópolis e Goiânia.

As igrejas, equipamentos culturais, espaços urbanos, paisagens, arquitetura rural, museus e a iluminação pública são as principais categorias do livro, em que o autor relata as suas experiências, compartilha conhecimentos e informações históricas de Pirenópolis no período entre 1995 e 2015. Na obra, foram detalhadas as técnicas de intervenções de restaurações de imóveis tombados e de elementos artísticos que o autor acompanhou e vivenciou durante 20 anos, contribuindo para a preservação do Patrimônio Cultural na cidade. Também estão contextualizadas as características específicas da arquitetura colonial goiana, as ações voltadas à educação patrimonial, além de um rico acervo fotográfico e ilustrações de encher os olhos. 
 

O arquiteto destaca a importância de ter atuado na cidade de Pirenópolis como servidor do Iphan, resultando na produção do livro. “Para mim foi uma oportunidade ímpar trabalhar com o rico acervo de Pirenópolis. Conquistei experiência profissional em restauração do patrimônio edificado do século XVIII, intervindo no conjunto tombado”. A obra é dedicada pelo autor à Belmira Finageiv, primeira arquiteta do Iphan, por sua valiosa atuação na preservação do Patrimônio Cultural do Centro-Oeste brasileiro. 

A publicação Barro, Madeira e Pedra – Patrimônios de Pirenópolis é destinada à profissionais, estudantes e interessados em geral sobre um tema que serve de referência e material de pesquisa, contribuindo para a crítica e a reflexão sobre as teorias e práticas de restauração de monumentos culturais. Ela estará disponível para venda na livraria do Chiquinho, localizada na Universidade de Brasília.


Sobre o autor

Silvio Cavalcante é formado pela Universidade de Brasília (UnB), arquiteto e urbanista, especializado em Patrimônio Cultural. Servidor do Iphan, atuou como arquiteto no período de 1985 a 2016. Foi diretor do Departamento de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Dphan-Iphan) de 1986 a 1995, quando Brasília foi reconhecida pela Unesco como Patrimônio Mundial, no ano de 1987. É fundador do Museu Vivo da Memória Candanga, de Brasília, e responsável por dezenas de restaurações de edifícios públicos patrimoniais nos Estados de Goiás e Mato Grosso, no período entre 1995 e 2016. 

É conhecido como o arquiteto que aos poucos foi redesenhando Pirenópolis. Acompanhou obras de restauração das Igrejas da Matriz do Bonfim e do Carmo; a recuperação dos espaços públicos Largo da Matriz e da Orla do Rio das Almas e de antigas edificações como as do Teatro, do Cinema, da Casa de Câmara e Cadeia e outros.