Prestes a extinguir acordo, Sindvacs corre risco de ter demandas rejeitadas pela Secretaria de Saúde

Por Mário Benisti

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal pode deixar de cumprir as reivindicações feitas pelo Sindicato dos Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde e Agentes Comunitários de Saúde (Sindivacs). Após os representantes da categoria fecharem um acordo com a pasta governamental para apresentar propostas, já que o prazo acaba na próxima segunda-feira (03), os servidores correm o risco de não terem suas solicitações atendidas.

A Secretaria de Saúde foi questionada pela equipe do portal Revista Brasília sobre alguns itens tratados na reunião com o Sindivacs, realizada no início de maio. A pasta deixou de responder detalhadamente todas as perguntas encaminhadas para a assessoria de imprensa.

Foi indagado se haverá contratação de novos Agentes de Vigilância Ambiental em Saúde (AVAS) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em 2019 e quais foram os procedimentos já realizados para atender a demanda da categoria. A tramitação sobre o plano de carreira e o pagamento das gratificações GAB e GCET também foram questionados.

A reportagem questionou como será a reestruturação das carreiras no quadro de servidores do Governo do Distrito Federal (GDF), através da lei Nº 5.237/2013 e qual é o atual status das reivindicações. Os serviços à população poderão ser ainda mais agravados, caso a categoria decidir paralisar os serviços, pois os AVAS e os ACSs atuam no combate a proliferação do mosquito Aedes aegypti, causador de doenças como a Dengue, Chikungunya, Zika Vírus e a Febre Amarela. Somente no Distrito Federal em 2019 foram diagnosticados, até meados de maio, mais de 20 mil casos de dengue.


Resposta
 
Após serem realizadas as perguntas, a pasta respondeu apenas que irá se manifestar até o final do prazo. “Secretaria de Saúde informa que todas as reivindicações estão sendo analisadas por diversas áreas da pasta e, até o fim do prazo, será apresentada uma proposta, incluindo a possibilidade de novas contratações de servidores”, disse a íntegra da nota, sem dar mais detalhes.