“Precisamos de alguém que faça uma gestão participativa na SESAI”, diz vereador indígena

 

A saúde da pessoa indígena é um desafio na realidade brasileira. A Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) é o departamento do Governo Federal que deve coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e todo o processo de gestão do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS) no SUS. 

O vereador Eber Reginaldo Vitoriano, do município Dois Irmãos do Buriti - MS, esteve, em Brasília (DF), na semana passada, tentando conversar com a ministra Tereza Cristina, já que ela é deputada pelo estado de Mato Grosso do Sul. O intuito do encontro seria buscar informações a respeito das ações promovidas pela SESAI. De acordo com ele, a atual gestão não tem promovido ações efetivas para melhorar a situação de saúde indígena no estado do Mato Grosso do Sul, sua área de conhecimento.  

Eber comentou a necessidade de medicamentos, vacinas e principalmente hospitais para atender a população indígena. “Pelo que converso com outros colegas vereadores, também não está fácil a situação em outros estados”, reclamou. 

Ainda, acrescentou a dificuldade causada pela falta de transparência das ações da secretaria, comandada por Robson da Silva: “Precisamos de alguém que faça uma gestão participativa. Nossa situação está caótica. Na pandemia só tivemos apoio do município, é uma situação de muita vulnerabilidade.”